Encomcip

SINTRACC realiza 3º ENCOMCIP no dia 10 de junho.

Veja as fotos do 3º Encomcip, evento realizado no Hotel Manferrari, em Contagem.

logomarca-encomcip-2017

Prevenção e segurança de mãos dadas
em defesa da vida: Nenhum direito à menos.

Esse ano, o evento tem um fator determinante, pois acontece justamente num momento dramático, onde os direitos dos trabalhadores já sofrem sérias ameaças por parte do Governo Federal e de uma maioria de Congressistas que, embora tenham sido eleitos através de voto popular, ignoram isso e representam apenas seus próprios interesses e de uma minoria privilegiada que são os ”grandes possuidores de fortunas de sempre”. A famigerada “terceirização sem freios” e as traiçoeiras reformas do Desgoverno “Treme” servem apenas para aumentar o sofrimento dos trabalhadores, pois na prática, retiram direitos conquistados após séculos de lutas. O 3º ENCOMCIP tem por objetivo orientar e promover melhores condições de segurança e saúde nos locais de trabalho do comércio em geral de Contagem. Porém, como vamos falar em melhorar as condições de trabalho se não aumentarmos nossa consciência de que não podemos ficar calados diante dos retrocessos propostos pelos Congressistas e pelo Desgoverno “Treme”?

Vamos continuar debatendo a importância da CIPA e dos Cipeiros, e para isso serão realizadas diversas palestras durante o evento.

pessoas1Data e local do ENCOMCIP:

10/06/2017, Hotel Manferrari,
Av. João César de Oliveira, Eldorado,
das 09 as 17 horas.

 

 

 

 

Comerciários de Contagem mobilizam cipeiros e técnicos em nome da segurança do Trabalho.

enco1

CONTAGEM/MG – Os Comerciários de Contagem reafirmaram a disposição de enfrentar o desafio de conscientizar toda a categoria do valor da saúde e segurança nos ambientes de trabalho. O III Encontro de Comerciários Cipeiros de Contagem (Encomcip) reeditou o debate da primeira edição do evento, ao mobilizar integrantes de Comissões Internas de Prevenção de Acidente (CIPA), técnicos e engenheiros de segurança, junto a especialistas e palestrantes especialmente selecionados para focalizar a questão, em evento realizado no sábado (10/06), nas dependências do Manferrari Hotel.

A gravidade da crise econômica e as ameaças aos direitos sociais, nas reformas Trabalhista e Previdenciária, marcaram os pronunciamentos que abriram o evento. Ronaldo Gualberto, presidente do Sindicato dos Comerciários de Contagem (Sintracc), denunciou o desmonto aos direitos trabalhistas embutido nas reformas, já que a legislação trabalhista e o sistema previdenciário andam lado a lado. Também Diane de Oliveira, diretora financeira do sindicato, ressaltou a importância da discussão do tema segurança e saúde no trabalho diante de um quadro ameaçador à proteção do trabalho.

Falando no mesmo tom, o médico Túlio Zulato, do Centro de Referência do Trabalhador, apontou o aumento das doenças e acidentes relacionados ao trabalho que virá caso seja aprovada a reforma Trabalhista, conforme proposta pelo governo federal. Mesmo não sendo cumpridas integralmente, as normas representam uma referência e garantia da preservação da saúde no ambiente de trabalho, assinala o médico, acusando a reforma de ser um complicador paraas relações de trabalho.

O RETROCESSO QUE VIRÁ COM A REFORMA TRABALHISTA

O propósito da diretoria do Sindicato dos Trabalhadores no Comércio Varejista e Atacadista de Contagem (Sintracc) começou a ser demonstrado a partir da palestra do advogado e professor Wanderson Marchiori, que esclareceu os presentes sobre as consequências negativas que terá a reforma Trabalhista, a partir da qual serão suprimidos 201 artigos da Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT), que farão com que as Normas Regulamentadoras (NRs) percam o valor efetivo e tenham somente significado declaratório.

Antônio Claudio da Silva, coordenador de Educação Previdenciária da Agência Contagem. O Programa de Educação Previdenciária (PEP) é desenvolvido pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) com o objetivo de promover a inclusão de trabalhadores no Sistema Previdenciário, divulgar políticas públicas e valorizar a cidadania. A palestra faz parte do projeto do INSS de integrar as entidades da sociedade civil no sentido de apresentar disseminação das informações previdenciárias.

À TARDE, CULTURA E INFORMAÇÃO

Na parte da tarde, o grupo Atos da Vida brindou o público com a apresentação da peça “Conjugações Conjugais”, na qual retrata episódios da vida de um casal, desde o conhecimento, passando pelo casamento e chegando à velhice, em que é focalizado o desafio humano da convivência. A encenação a cargo dos atores Tulius Mendonça e Kelly Spínola, contou com a sonoplastia de Lucimélia Mourão e mereceu aplausos de pé da plateia, emocionada com o desempenho dos profissionais.

Patricia Kelly Lopes de Paula, psicóloga e integrante do Núcleo de Prevenção Ativa da Policia Militar, que condensa as atividades de cunho preventivo da corporação. A especialista falou da importância da correção de informações imprecisas sobre a prevenção às drogas, no acolhimento ao público e familiares. A psicóloga esclareceu sobre a amplitude do conceito de droga, no qual se incluem o cigarro e o álcool, que são substâncias não produzidas pelo organismo, que têm a propriedade de atuar sobre ele, produzindo alterações no funcionamento.

O VALOR DE SEGURANÇA NO TRABALHO

O tema “A Vida em Primeiro Lugar” foi abordado por William Carvalho profissional do setor de segurança no trabalho, no campo de consultoria e nos segmentos de construção civil e mineração, que apresentou conceitos e depoimentos vivenciados por ele no desempenho da atividade. Carvalho explicou que a vida é o bem mais precioso da Humanidade e que devemos dar a ela valor expressivo. Entre os vídeos exibidos, uma sequência em que uma trabalhadora é informada da ocorrência de 34 acidentes de trabalho e questionada sobre qual número ela considerava aceitável. Na resposta, a trabalhadora citou o número 30 e ficou surpresa com a aparição de 30 pessoas, uma delas a filha dela, fato que a levou às lágrimas. Em seguida, a trabalhadora foi novamente questionada com a mesma pergunta, respondendo que o número aceitável de acidentes é zero.

O III Encomcip defendeu o papel da CIPA na investigação dos acidentes de trabalho e das doenças ocupacionais, cujo desdobramento se dá na reabilitação do trabalhador e no retorno dele ao trabalho. A ação integrada entre o Ministério Público do Trabalho (MPT) com os profissionais do SESMT (Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho) e os integrantes da CIPA, pode resultar em avanços concretos na questão da prevenção na segurança do trabalho, como na formulação de Termos de Ajustamento de Conduta (TAC), baseados nas atas das CIPAs e nos pareceres técnicos do SESMT.

Na opinião de Ronaldo Gualberto, presidente do Sintracc, é preciso aproximar o integrante da CIPA, que conta com a proteção da estabilidade no emprego, para que ele contribua na compreensão de que a prevenção de acidentes é benéfica tanto para o trabalhador quanto para a empresa. O evento foi encerrado após sorteio de brindes e posterior entrega de certificados.

Renato Ilha, jornalista (MTb 10.300)